Fanfic por - Indianara M. Rodrigues

Crossbreed


Todos os quatro estavam em suas respectivas cadeiras que eram como pedestais enormes perto de mim. Altos e onipotentes como nunca havia visto um dia. Não me surpreendia por não ter medo, pois, toda a maldade transmitida pelo os olhos deles não me afetava. Mas ainda me pergunto por que estou me curvando, meus joelhos doem por causa do chão frio e duro. O homem louro de cabelos longos e claros se levantou para vir ao meu encontro, mesmo dando sinais leves em meu peito o medo ainda permanecia quieto em algum lugar escondido. O louro de cabelos longos tocou meu ombro, seus dedos gelados como o vislumbre tenro da morte deslizaram para minha garganta, foi a vez do meu corpo gelar, mas em um instinto de defesa, não por medo. Não havia medo, surpreendentemente não havia medo.
— Ao seu comando Aro. — Ele disse erguendo minha cabeça para olhá-lo.
Meus olhos param nos seus vermelhos e sedentos por morte, e este é o momento de eu dar um forte grito ensurdecedor.
— Jacob!
Agora, simplesmente como se não houvesse temor em meu peito, eu acordo soando, ofegando e me praguejando por não conseguir mais dormir sem ter esse pesadelo horrível. Deito-me na cama de novo e agora consigo sentir medo ao pensar que isso possa fazer parte da realidade um dia. Mas era impossível, agora, mais ciente do que nunca estávamos longe de tudo. Longe de onde tudo começou e poderia terminar de uma forma bem trágica.
Alguém bate na porta, coloco o edredom acima dos ombros para disfarçar os nervos a flor da pele. Segundos depois papai abre a porta, sentou-se com seu olhar tão amoroso e protetor e antes de tocar meu cabelo ele sorriu calmo, como sempre, dizendo que nada iria me atingir.
— Preciso saber o que está vendo nesses sonhos.
Em minhas têmporas ele ainda está passando os dedos, que para mim, eram mornos como água de uma bela ducha relaxante. Fazendo consequentemente o sono retornar.
— Você lê mentes. — Digo fechando os olhos. Papai tinha um cheiro doce, calmo e leve não havia como me manter acordada perto dele naquela circunstância. — Pode saber o que estou vendo em meus sonhos.
  Ele riu de novo.
— Sabe que não é bem assim. Sua mente, para mim, se compara muito com a de sua mãe. Não há como saber o que está pensando Renesmee.
Então me viro para o canto e volto a dormir, pelo menos tempo suficiente para ver que ele foi embora. Havia coisas nos rondando, minha família já estava investigando isso. E ficar preocupando-os ainda mais com esses pesadelos não seria nada legal. Eu não quero ser mais uma preocupação os mantendo mais alerta ao meu respeito do que o normal. Depois daquele episódio consigo adormecer tranquilamente, tendo uma leve impressão de que alguém me observava dormir.

— Não têm comido muito nos últimos dias Renesmee. — Esme colocou uma panqueca no prato a minha frente. Sinto enjoo e afasto o prato.
— Eu sei — falo. 
Ultimamente minha sede por sangue tem aumentado muito, isso pode e é normal no meu caso. Mas se torna algo estranho para mim quando se trata de humanos. Enquanto Edward teve que ao longo do tempo que adquirir um respeito pela humanidade, por natureza isso nasceu moldado em mim. Não há como questionar algo tão forte, então eu faço o máximo esforço sabendo que nunca machucaria ninguém. 
— Você escolhe.
Esme sussurra colocando um frasco de sangue na mesa ao lado do prato de panqueca.
Olho de novo para a panqueca com uma bela calda por cima, não resisto e acabo comendo esquecendo o sangue tão desejado antes. 
— Ness você é incrível!
Sorridente ela disse passando as mãos em meus cabelos, tão longos e castanhos que mal posso questionar minha mãe por isso. Apesar de todos falarem que me pareço com papai, eu discordo veementemente. Sinto-me totalmente idêntica a minha mãe, pelo menos a antiga parte humana dela.
Enquanto eu apenas esperava meu horário para Esme me levar para a escola, mamãe desceu as escadas olhando preocupada para o meu rosto, abaixo a cabeça e penso que ela não percebeu isso, o que é pura idiotice da minha parte porque ela sempre percebe tudo.
— Bom dia. — Disse ela enquanto beijava minha testa. Papai veio logo atrás também preocupado. Esme não estava mais nada cozinha comigo. Eram apenas nós três agora e isso me deixava tensa.
— Bom dia. — Respondi.
— Vou levar você para a escola hoje.
Nunca poderia ser uma pergunta já que ela sempre dizia o que acontecer. Apenas assenti me levantando indo em direção ao meu pai para me dspedir. Ao beijar seu rosto sussurro:
— Disse alguma coisa para ela?
Edward deu de ombros.
— Não posso ler sua mente posso?
Revirei os olhos concluindo que já havia dito mais que o esperado. Sabendo que ela iria fazer de tudo para arrancar alguma coisa de mim.
Entramos no carro Volvo XC60. Mamãe bateu a porta com uma velocidade estranha, algo que não beirava o normal de sua reação. Após dez longos minutos de silencio consigo olhar para ela e dizer alguma coisa.
— Pensei que Esme iria me levar hoje.
— Eu não poderia deixar ela trazer você hoje. — Disse.
Neste momento olho para ela.
— Mas por quê?
Bella parou o carro na porta a escola, os alunos já estavam entrando e com certeza faltava pouco para a primeira aula do dia.
— Porque eu não posso deixar isso tomar um rumo diferente. — Ela lançou aquele olhar desconfiado que eu odiava, isso me fazia pensar em qualquer possibilidade de deixá-la falando sozinha. 
— Diferente do quê? Mãe do que você está falando?
Ela soltou um suspiro tenso e não quis mais disfarçar seus pensamentos.
— Renesmee, precisamos saber o que está acontecendo. — Diz. — Você querendo ou não é muito importante nessa história e os perigos estão se voltando contra nós. Preciso saber o que está vendo em seus sonhos.
Sorrio tímida querendo esquecer aquele episódio ruim.
— Isso não vem ao caso mãe. Não há nenhuma importância quanto ao que vejo.
Saio do carro, Leslie minha melhor fiel e escudeira amiga estava me esperando no portão. Quase não havia mais ninguém lá e ela já estava tensa. Faço um sinal desesperado para ela me esperar, ela entende e se senta em um dos bancos de aço da entrada.
Volto a olhar para minha mãe, ela me entrega a mochila e eu a pego indiferente.
— Renesmee, o que anda vendo nesses sonhos?
— Mãe isso não tem importância. — Digo pela enésima vez.
Ela é insistente, mais um ponto forte pelo qual ela sempre seria considerada melhor.
— Quando eu tinha a sua idade isso também não tinha. Embora vários desses sonhos ruins me ajudassem a proteger o que eu e seu pai sentimos um pelo outro.
Olho para o nada e depois a encaro.
— Não é um, romance mãe isso…
— É sua vida eu sei, e é por causa dela que estou fazendo isso. 
Seu olhar pesou e eu me senti coagida. Afinal de contas era apenas um sonho, o que havia de mal nisso? Coloco as mãos no bolso e olho para ela, pronta para falar.
— Tudo bem. — Começo. — Sonhei com os Volturi. 
Seus olhos ficam ainda mais preocupados, penso mais uma vez se deveria prosseguir com isso.
— E o que houve? — Incita.
Dou de ombros.
— No sonho estou em um salão enorme como o quintal de uma igreja europeia. Há quatro cadeiras e quatro deles sentados nelas. Fico curvada, olhando para eles esperando uma reação sem entender por que não tenho medo deles. Até Caius se aproximar e segurar meu pescoço, esperando alguma ordem de Aro. Quando sinto que as mãos de Caius estão me sufocando, chamo por um nome.
— Que nome?
Olho para ela saindo do devaneio repentino. Dez anos sem ver alguém é muito tempo e isso piora quando seu corpo lhe pede isso, uma presença que o completa. Era como se todo esse tempo estivesse sido irrelevante sem ele por perto.
— Jacob. — Sussurro. — Chamo por Jacob.
Ela passou as mãos no cabelo e olhou para o carro antes de me abraçar com força, um abraço de mãe, como um urso protetor. Antes que ela entre no carro preciso dizer algo então a chamo e ela para na porta me observando.
— Isso não é possível.
Ela apenas me olhou vacilando os lábios, ainda preocupada.
— Tudo é possível Renesmee.
Volto para a entrada, Leslie ainda está parada me esperando e me sinto feliz por ter uma amiga tão fiel. Andamos até a entrada, espero que nada pior aconteça a partir de agora.

O título que usei para o fanfic, é baseado no trailer, muito bem feito por sinal, que indica uma continuação da saga crepúsculo envolvendo Renesmee e Jacob. Clique aqui e vejam!

Nenhum comentário

Postar um comentário

Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger